Folha do Norte MS
Rio Verde MS - Sábado, 23 de Junho de 2018
Folha do Norte MS no Whatsapp
ESPORTES » AUTOMOBILISMO

22/10/2017 «¢s 19h30min - Atualizada em 22/10/2017 «¢s 19h30min

Hamilton a mão no tetra

Para ser tetracampeão, Lewis só precisa de um quinto lugar no GP do México

Hamilton a mão no tetra
Lewis Hamilton colocou um ponto final em um fim de semana próximo da perfeição nos Estados Unidos. O homem que liderou todos os treinos livres e fez pole-position com facilidade completou o serviço com uma vitória simples neste domingo (22). Mesmo perdendo a liderança na largada para Sebastian Vettel, Lewis teve ritmo para retomar a ponta ainda nas primeiras voltas e tomar o rumo do alto do pódio.

O segundo lugar acabou com Vettel, mas não foi uma jornada tão simples. O alemão precisou fazer um pit extra para corrigir problemas de performance com o pneu macio, colocado após a primeira parada. Ao fazer uma segunda parada, o alemão precisou batalhar com Valtteri Bottas antes de encaminhar o segundo lugar, confirmado através de jogo de equipe com Kimi Räikkönen.
O terceiro lugar ficou com Kimi Räikkönen. Max Verstappen cruzou a linha de chegada na frente, mas foi punido: o holandês fez a ultrapassagem sobre o finlandês pela parte de fora da pista, excedendo os limites. Assim, todo o esforço do jovem piloto para encaixar a manobra nos últimos metros das últimas voltas acabou sendo em vão.

 



Valtteri Bottas, com uma corrida problemática, foi apenas o quinto. O finlandês apostou em uma parada a menos na comparação com Vettel e Verstappen, o que não deu certo. Com pneus acabados, Bottas não teve como se defender nas últimas voltas.

Esteban Ocon cruzou a linha de chegada em sexto, novamente encabeçando o grupo de pilotos das equipes intermediárias. Carlos Sainz foi o sétimo, encerrando um ótimo fim de semana de estreia pela Renault. Sergio Pérez foi oitavo, enquanto Felipe Massa foi nono.

“Eu poderia ter chegado em oitavo se não fosse a bandeira azul”, disse Massa. “Peguei num momento em que consegui ficar na minha frente com um carro que não tinha DRS para abrir, o Kvyat tinha e abria o tempo todo, mas nesse caso não tinha, tive que tirar o pé e deixar o Hamilton passar, perdi a oportunidade  de ultrapassar, acho que o Pérez, para ganhar mais uma posição. Mas sem dúvida foi uma boa corrida, estou satisfeito com o resultado hoje”, completou.
O último piloto na zona de pontos foi um inesperado Daniil Kvyat. O russo voltou para defender a Toro Rosso apenas em solo americano e aproveitou para encerrar um longo jejum de pontos.



 

O GP dos Estados Unidos nem precisou da largada para ter momentos especiais. Os pilotos foram à pista de maneira inédita: um por um, o grid inteiro foi anunciado por Michael Buffer, famoso por fazer a locução em lutas de boxe. Já na pista, todos ouviram o hino americano e o inusitado comando de ligar os motores.

A largada deu sequência ao agito. Sebastian Vettel partiu bem e contornou a primeira curva na liderança. Lewis Hamilton foi relegado ao segundo lugar depois de tentar dar o troco. Valtteri Bottas, Daniel Ricciardo, Esteban Ocon, Kimi Räikkönen, Fernando Alonso, Carlos Sainz Jr., Felipe Massa e Sergio Pérez completaram o top-5 ao fim do primeiro de 56 giros. Apesar de uma série de travadas, ninguém bateu.

Na abertura da segunda volta, Daniel Ricciardo resolveu ousar. O australiano mergulhou na curva 1 para passar Valtteri Bottas – e quase teve sucesso. O finlandês foi combativo e sustentou o terceiro lugar por pouco.


Mais atrás, o companheiro Max Verstappen fazia uma bela corrida de recuperação. Largando em 17º, o holandês entrou na zona de pontos já na terceira volta. Mesmo contra pilotos como Sergio Pérez, o holandês não teve problemas para tentar algo.

A quarta volta marcou o primeiro abandono da tarde. Nico Hülkenberg, que já havia trocado diversas peças do motor, teve problemas mecânicos e recolheu. Sainz, enquanto isso, sustentava o oitavo lugar.


Mais uma volta e Ricciardo voltou a tentar algo contra Bottas. Dessa vez, o australiano ficou por fora na saída da curva, tentando algo diferente, mas voltou a falhar. Valtteri ainda era o terceiro colocado, mas sob enorme pressão.

A volta seis marcou o começo da briga pela liderança – que acabou sendo breve. Hamilton mergulhou ao fim da reta oposta e tomou a liderança sem maiores problemas. De forma até surpreendente, Vettel não conseguiu resistir e se conformou com o segundo lugar.

O sétimo giro marcou o segundo abandono da corrida. Pascal Wehrlein, com carro danificado após toque com Kevin Magnussen nas primeiras voltas, recolheu aos boxes. Agora restavam 18 carros ainda na pista.

As primeiras voltas foram repletas de ação, mas logo a corrida começou a acalmar. A atenção ficava reservada para Max Verstappen, sétimo colocado na altura da volta 10. O holandês logo encaixou a ultrapassagem sobre Ocon, que nem resistiu muito. A próxima vítima era Kimi Räikkönen, 8s adiante na quinta posição.

Räikkönen, aliás, estava ocupado. O finlandês colocava pressão em Ricciardo, já com problemas nos pneus após forçar a barra contra Bottas. O australiano, claramente com dificuldades nos pneus, veio aos boxes na volta 13. Além de Daniel, o quarteto Sergio Pérez, Kevin Magnussen, Brendon Hartley e Sergio Pérez já havia parado.


O problema de Ricciardo é que o pit-stop se mostrou bem inútil. Três voltas depois, o piloto parou na área de escape. Pelo rádio, a explicação – Daniel disse que o motor teve problemas. Segunda quebra do motor Renault em poucas voltas, inclusive.

Na altura da volta 16, Vettel optou pelo pit-stop. O alemão encaixou pneu macio, na expectativa de usar a borracha nova para ameaçar Hamilton. Bottas, bem atrás de Vettel, optou pela mesma coisa na volta 19.

Depois de perder algum tempo com ultramacios gastos, Hamilton veio aos boxes na volta 20. O britânico colocou macios, assim como Vettel, e manteve a liderança por pouco.

Depois da parada de Räikkönen, apenas três pilotos seguiam sem paradas. Verstappen, agora líder, Massa e Vandoorne. Os três largaram com ultramacios e teriam condições de acumular mais algumas voltas na pista.

Verstappen tinha 3s de vantagem sobre Hamilton. Era alguma coisa, mas não seria suficiente para ter uma liderança longeva. Na altura da volta 23, Hamilton mergulhou e tentou algo. Verstappen foi combativo, mas tudo que conseguiu foi segurar a onda por mais duas curvas. Lewis voltava a ser líder, agora talvez em definitivo.

Depois de perder a liderança, Verstappen foi aos boxes e voltou em quinto. O holandês encaixou pneus macios – os mesmos dos outros, mas em condições bem melhores.

Enquanto isso, uma situação corriqueira voltou a se repetir. Fernando Alonso apareceu lento na pista, novamente com problemas mecânicos. O espanhol recolheu aos boxes na volta 25, se afirmando como quarto abandono do dia.

Na volta 30, Felipe Massa optou por seu primeiro pit da tarde. O brasileiro estava em sexto, atrapalhando a vida da dupla da Force India que aparecia atrás. O piloto regressou à pista em 12º mas com ultramacios – uma estratégia ousada.

Encerrada a rodada de pits, a zona de pontos estava assim: Hamilton, Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen, Ocon, Pérez, Sainz, Kvyat e Grosjean.

Após perder tempo com Massa, Ocon passou a ser ameaçado por Pérez. O mexicano dava a pinta de que poderia arriscar algo – mas era preciso ter cautela para evitar novos problemas na Force India.

 





 

Preso atrás de Ocon, Pérez passava a ser alvo de Sainz e até de Kvyat. O espanhol mantinha a mesma posição do mesmo da corrida, enquanto o russo conseguiu ganhar terreno com o passar das voltas.

Mais na frente, surgia a expectativa de uma corrida mais agitada. Vettel enfrentava dificuldades para sequer acompanhar Hamilton – a diferença entre os dois era de 6s. Terceiro, Bottas estava próximo, mas estava mais preocupado com a presença incômoda de Räikkönen no espelho retrovisor.

Mais atrás, Verstappen ganhava terreno aos poucos. Mesmo ganhando tempo, o holandês veio aos boxes para colocar supermacios – a ideia era antecipar a manobra que provavelmente seria aplicada pelos pilotos que estavam à frente.

Vettel reagiu aos pit de Verstappen na volta seguinte, colocando supermacios. Bottas e Räikkönen subiam para segundo e terceiro, mas seria difícil seguir assim por muito mais tempo.
Tentando administrar os pneus Bottas acabou ficando lento demais. Räikkönen cansou de seguir o compatriota e fez a ultrapassagem ao estilo clássico do Circuito das Américas – travando os pneus e mergulhando. O finlandês era segundo colocado, 11s atrás de Hamilton.

 



Mais atrás, Vettel e Verstappen se aproximavam rapidamente. O alemão costurava pelo tráfego, que inclusive perdia a linha – Ericsson perdeu o ponto de freada e acertou Magnussen enquanto levava volta. Os dois foram capazes de seguir na prova, mas com danos leves nos carros. O piloto da Sauber foi considerado culpado e teve 5s de acréscimo ao total de prova.

O preço de ficar com pneus gastos logo foi cobrado. Bottas levou uma bela ultrapassagem de Vettel. Com Räikkönen na frente, a Ferrari usou jogo de equipe para recolocar Seb em segundo.

Restava a definição do terceiro lugar, último posto no pódio. E seria uma briga entre Verstappen e Räikkönen: o holandês mergulhou por dentro na curva 18 e até fez a ultrapassagem. A manobra, todavia, foi feita ao cortar a curva. Desse jeito, os comissários não tiveram muita dúvida: 5s foram somados ao total do tempo de Max, que acabou com o quarto posto.


Confira a classificação do Mundial de Pilotos:


















































































































































































































































































Poles Vitórias Pontos
1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 10 8 306
2   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 3 4 247
3   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 2 2 234
4   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer   1 192
5   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1   148
6   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer   1 111
7   31 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes     82
8   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes     65
9   25 Carlos SAINZ JR ESP Toro Rosso Renault     48
10   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault     34
11   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes     34
12   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes     32
13   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari     28
14   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari     15
15   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda     13
16   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda     10
17   30 Jolyon PALMER ING Renault     8
18   94 Pascal WEHRLEIN ALE Sauber Ferrari     5
19   26 Daniil KVYAT RUS Toro Rosso Renault     4
20   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari     0
21   36 Antonio GIOVINAZZI ITA Sauber Ferrari     0
22   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Renault     0
23   22 Jenson BUTTON ING McLaren Honda     0
24   40 Paul DI RESTA ING Williams Mercedes     0

 











CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR:

AUTOR/FONTE: Grande Prêmio

Luiz Carlos Atagiba

(luizatagiba@ibest.co­m.br)

Veja também »

12/01/2018

Massa aponta “mudanças significativas” para 2018

Massa aponta “mudanças significativas” para 2018

10/11/2017

Quem são os candidatos a próximo brasileiro na F-1

Quem são os candidatos a próximo brasileiro na F-1

09/11/2017

Massa encerra carreira e prevê longo hiato brasileiro na F-1

Massa encerra carreira e prevê longo hiato brasileiro na F-1

30/10/2017

Alonso: "Título de Hamilton foi muito fácil"

Alonso: "Título de Hamilton foi muito fácil"

29/10/2017

Louis Hamilton é tetracampeão de F1

Louis Hamilton é tetracampeão de F1

22/10/2017

Hamilton a mão no tetra

Hamilton a mão no tetra

© Copyright 2018 - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium