Segunda, 12 de abril de 2021
(67) 9-9959-0792
Saúde

02/03/2021 às 19h46

72

Redação

Campo Grande / MS

Covid-19: governador volta cobrar liberação de “mais vacinas em menor tempo”
Reinaldo Azambuja reforçou que o Governo do Estado tem 100 milhões em caixa para comprar doses do imunizante
Covid-19: governador volta cobrar liberação de “mais vacinas em menor tempo”
Foto Arquivo

O governador Reinaldo Azambuja voltou a pedir agilidade na liberação de vacinas contra a Covid-19. Em agenda na governadoria,  nesta terça-feira (2), ele cobrou ação do Ministério da Saúde, disse que a transmissão da doença está “violenta” e que só a ampla vacinação da população vai pôr fim à pandemia de coronavírus no Brasil.


“Se tivermos até junho as 230 milhões de doses no País, conforme o ministro prometeu, teremos 115 milhões de pessoas imunizadas. Isso diminuiria muito o volume de óbitos e de pessoas infectadas. Esse é o grande trabalho agora”, explicou o gestor.


Reinaldo Azambuja reforçou que o Governo do Estado possui dinheiro em caixa para comprar doses do imunizante. “Temos R$ 100 milhões, mas o problema é que nenhum estado consegue comprar porque não tem vacina no mercado”, falou.


Nesta terça-feira, autoridades de 18 estados e do Distrito Federal, representando o Fórum de Governadores, do qual Reinaldo Azambuja faz parte, visitaram empresas farmacêuticas responsáveis pela fabricação da vacina Sputnik V para negociar a compra de doses do imunizante russo - que ainda precisa da autorização da Anvisa para ser utilizado no Brasil.


“Essa talvez possa ser uma solução. Nós definimos que vamos estar juntos, os 27 estados, para, se tiver uma compra, ela ser feita em conjunto (...) Temos que manter uma unidade de pensamento para termos mais vacinas em menor tempo”, disse Reinaldo Azambuja sobre a mobilização dos governadores.


Para ele, a lógica do PNI (Plano Nacional de Imunizações) deve seguir em prática, já que o programa do Ministério da Saúde atende de forma igualitária, em todos os estados, os grupos prioritários, formados por pessoas consideradas mais vulneráveis, como profissionais de saúde e idosos, por exemplo.


“Enquanto isso, nessa nova onda, recomendamos o distanciamento, uso de máscaras, regras de higiene e toque de recolher. Tudo para evitar colapso da saúde. A sociedade tem que contribuir. Nosso objetivo é salvar vidas e diminuir o número de infecções”, reforçou o governador.

FONTE: Bruno Chaves

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2021 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium