Quinta, 16 de agosto de 2018
(67) 9-9959-0792
Famosos

07/10/2015 às 23h39

46

Redação

Campo Grande / MS

Biógrafo visualiza como seria futuro do ex-Beatle John Lennon
Músico faria 75 anos na sexta-feira (9/10) e continuaria atuando como ativista político
Biógrafo visualiza como seria futuro do ex-Beatle John Lennon
A trajetória de John Winston Ono Lennon, uma das figuras mais ricas, controversas e influentes que a humanidade já conheceu, foi interrompida em 8 de dezembro de 1980 por quatro tiros disparados por Mark David Chapman, suposto fã do ex-beatle. A tragédia que tirou a vida do artista fez com que milhares de fãs usassem um trecho de uma de suas músicas para expressar o sentimento de desolação e desesperança com o ocorrido: The dream is over (O sonho acabou), da música God, presente no trabalho John Lennon/Plastic Ono Band, o primeiro após o rompimento de sua banda mais famosa.
Tais sentimentos foram reforçados pela própria trajetória do artista. Nascido em 9 de outubro de 1940, em Liverpool, John foi criado pela sua tia Mimi, após ser abandonado pelo pai e ter uma tumultuada relação com a mãe, Julia, morta em um momento em que tentava se reaproximar do filho. O sucesso com os Beatles não foi suficiente para adoçar uma personalidade que poderia ser tão amável quanto violenta e cruel em momentos. As dúvidas em relação ao próprio talento e vocação, acredite, só começaram a se dissipar quando Lennon e a companheira, Yoko Ono, começaram a assumir uma postura ativa pela paz e pela tolerância, e construíram uma família, em Nova York, com o nascimento do filho Sean.
Além da morte trágica justamente neste momento pacífico e bem-resolvido, a perda de uma figura tão importante para tantas pessoas motiva exercício de imaginação sobre como seria a vida daquele mito pop hoje em dia. No caso de John Lennon, que completaria 75 anos nesta sexta-feira (9/10), esse exercício é facilitado — e ganha legitimidade — pela participação de Philip Norman, um dos mais renomados biógrafos dos Beatles e de John Lennon, autor dos livros Shout: The Beatles in their generation e John Lennon: the life.

Em entrevista exclusiva ao Correio, Norman falou sobre os relacionamentos que definiram a vida de John. Visto que Paul McCartney continua a pleno vapor, gravando discos e saindo em grandes turnês, o escritor analisou a velha competitividade entre os velhos parceiros.

Philip Norman foi enfático ao afirmar que o artista continuaria lutando pela paz e pela tolerância, como fez em 1969, ao, por exemplo, devolver a medalha de Membro do Império Britânico (MBE, em inglês), devido ao apoio da Inglaterra à Guerra do Vietnã, ou os icônicos protestos pacíficos com Yoko em Montreal e Amsterdã.



 

FONTE: Samir Mendes

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium