domingo, 22 de setembro de 2019
(67) 9-9959-0792
Saúde

17/05/2019 às 08h04

76

Redação

Campo Grande / MS

Colírio: um medicamento que deve ser levado a sério
Segundo o oftalmologista Dr. Antonio Sérgio Leone, a automedicação oferece diversos riscos para a saúde dos olhos
Colírio: um medicamento que deve ser levado a sério
Foto Divulgação

É bastante comum o uso de colírios para aliviar desconfortos oculares, como ressecamento ou irritação, por exemplo. Entretanto, colírios não são iguais. A utilização do medicamento sem uma consulta médica pode não ser capaz de trazer alívio para o incômodo e nem mesmo curar adequadamente enfermidades nos olhos, que podem ser diversas, tais como conjuntivites, alergias, inflamações, entre outros.


O Grupo H.Olhos, um dos maiores centros oftalmológicos do Brasil, alerta sobre a importância de procurar um especialista para obter um diagnóstico preciso e indicação de tratamento adequado para cada caso.


De acordo com o Dr. Antonio Sérgio Leone, oftalmologista do hospital, a automedicação oferece diversos riscos para a saúde dos olhos, além de poder apenas mascarar o problema, e não curá-lo totalmente.


“É importante lembrar que o colírio é um medicamento e que cada tipo é destinado para uma doença diferente. Além de retardar o tratamento e prolongar o processo infeccioso, o uso incorreto, sem prescrição médica, pode causar consequências sérias e comprometer a visão. Algumas irritações são causadas por poluição, produtos químicos e tempo seco, e são facilmente tratáveis. Porém, alguns sintomas comuns podem ser subestimados, escondendo doenças graves, como infecções e até mesmo o glaucoma, caracterizado pelo aumento da pressão intraocular e que pode levar à cegueira irreversível. Por isso, nunca descarte a ida a um oftalmologista”, ressalta o Dr. Leone.


Saiba como pingar


Para aplicar o líquido nos olhos, é necessário ter alguns cuidados. Antes de iniciar o processo, é preciso lavar bem as mãos e evitar contato dos dedos com a ponta por onde saem as gotas, evitando uma contaminação. Na hora da aplicação, é necessário puxar as pálpebras inferiores e garantir que o medicamento seja pingado no espaço logo abaixo dos olhos, chamado de saco conjuntival.


Outra dica importante é manter os olhos fechados durante um minuto completo, garantindo que o líquido penetre em toda a área dos olhos. “Muitas pessoas piscam continuamente, o que não é indicado. O ideal é deixar os olhos calmamente fechados”, explica o especialista.

FONTE: Lifestyle

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium