Terça, 23 de julho de 2024
(67) 9-9959-0792
Brasília

10/07/2024 às 11h03

Redação

Campo Grande / MS

Câmara rejeita alterações do Senado e aprova novo ensino médio
Prevaleceu substitutivo do ex-ministro da Educação Mendonça Filho
Câmara rejeita alterações do Senado e aprova novo ensino médio
Foto Divulgação

A Câmara dos Deputados rejeitou as modificações do Senado e aprovou nesta terça-feira (9) o projeto que altera a reforma do ensino médio, ou seja, fazendo prevalecer o  substitutivo do relator, deputado Mendonça Filho (União-PE) para o Projeto de Lei 5230/23, do Poder Executivo.


O substitutivo mantém o aumento da carga horária da formação geral básica previsto no projeto original, de 1.800 para 2.400 horas (somados os três anos do ensino médio) para alunos que não optarem pelo ensino técnico. A carga horária total do ensino médio continua a ser de 3.000 horas nos três anos (5 horas em cada um dos 200 dias letivos anuais).


Para completar a carga total nos três anos, os alunos terão de escolher uma área para aprofundar os estudos com as demais 600 horas. A escolha poderá ser entre um dos seguintes itinerários formativos:


 


  • linguagens e suas tecnologias;

  • matemática e suas tecnologias;

  • ciências da natureza e suas tecnologias; ou

  • ciências humanas e sociais aplicadas.


Atualmente, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) define um total de 1.800 horas para a formação geral básica, direcionando 1.200 horas para os itinerários de formação, após a reforma do ensino médio de 2017. Mendonça Filho era ministro da Educação à época e propôs essa reforma.


Ensino noturno
Uma das mudanças vindas do Senado determina que os estados deverão manter, na sede de cada um de seus municípios, pelo menos uma escola de sua rede pública com oferta de ensino médio regular no turno noturno. Esse ponto foi mantido no texto aprovado hoje no Plenário da Câmara.


A exigência dependerá de haver demanda manifestada e comprovada pela matrícula nesse turno, na forma da regulamentação do respectivo sistema de ensino.

FONTE: Diário do Poder

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2024 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium